Blog

Arco1

Entidade chegará ao maior patamar da Lei Agnelo/Piva desde a sua criação, em 2001.

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) definiu a divisão dos repasses de recursos da Lei Agnelo/Piva (LAP) para as confederações no ano que vem.

Com uma estimativa de arrecadar R$ 250 milhões, o que significa 11% a mais do que em 2018, o COB vai repassar ou investir diretamente R$ 194,3 milhões. O valor representa um aumento de aproximadamente 15% em relação a 2018. Com isso, o COB vai investir quase 80% da estimativa de arrecadação da LAP em ações esportivas, o índice mais alto desde que a lei foi criada, em 2001.

“Em 2019, vamos chegar ao maior patamar de investimento de Lei Agnelo/Piva, com 77,7% desta receita direcionada a ações esportivas”, disse Paulo Wanderley Teixeira, presidente do COB. “O momento exige mais investimentos, já que 2018 foi um ano de dificuldades políticas e administrativas, com questões importantes que impactaram o sistema esportivo e a sociedade brasileira de uma forma geral”, completou Wanderley.

Dos R$ 250 milhões estimados, R$ 109 milhões serão descentralizados e repassados para aplicação em programas das 34 confederações com modalidades no programa olímpico, exceto a de futebol. Outros R$ 85,3 milhões serão aplicados em diversos projetos esportivos, como projetos de Preparação Olímpica (PPOs), centro de Treinamento Time Brasil, os Jogos Pan-americanos, entre outros.

Resultados

O levantamento do COB aponta que o Brasil ficou entre os três melhores do mundo em 15 oportunidades, seja por meio de medalhas em Campeonatos Mundiais ou competições equivalentes ou de rankings mundiais. O estudo contabiliza apenas as provas olímpicas. Por meio deste monitoramento, o COB estabelece as estratégias de investimento.

O Brasil venceu os circuitos mundiais de Maratona Aquática (Ana Marcela), Surfe (Gabriel Medina) e Vôlei de Praia (Agatha/Duda), ganhou o mundial de Skate Park (Pedro Barros) e lidera o ranking mundial do revezamento 4x100 da Natação. Arthur Zanetti (Ginástica Artística), Vinícius Figueira (Caratê) e a equipe de Voleibol masculino foram vice-campeões mundiais, com Bruno Fratus em segundo lugar no ranking mundial dos 50m livres.

Com os bronzes de Anderson Ezequiel (Ciclismo BMX), Erika Miranda (Judô) e Isaquias Queiroz (Canoagem), o terceiro lugar de Filipe Toledo no Circuito Mundial de Surfe e de Almir Santos e Núbia Soares no ranking mundial do salto triplo (Atletismo), o país ampliou o leque de modalidades em que figura entre os melhores do mundo.

Outros destaques foram Boxe, Ciclismo Mountain Bike, Ginástica Artística Feminina, Levantamento de Peso, Tênis de Mesa e Vela.

Abaixo a distribuição dos recursos para 2019:

Atletismo -                  R$ 5.368.072,74

Badminton -                R$ 2.583.601,01

Basquetebol -             R$ 2.762.892,99

Beisebol / Softbol -     R$ 801.470,59

Boxe -                         R$ 4.567.503,26

Canoagem -                R$ 4.438.879,51

Ciclismo -                   R$ 3.032.515,28

Desporto na Neve -    R$ 2.563.841,26

Desporto no Gelo -     R$ 2.286.948,06

Desportos Aquáticos - R$ 4.533.173,18

Escalada -                   R$ 801.470,59

Esgrima -                    R$ 2.644.790,67

Ginástica -                   R$ 4.552.305,64

Golfe -                         R$ 2.573.279,18

Handebol -                  R$ 2.888.152,16

Hipismo -                     R$ 2.719.894,85

Hóquei sobre Grama - R$ 2.353.868,91

Judô -                          R$ 6.733.833,96

Karatê -                       R$ 801.470,59

Levantamento de Peso - R$ 3.851.418,85

Pentatlo Moderno -     R$ 3.078.564,35

Remo -                        R$ 2.358.003,34

Rugby -                       R$ 2.558.708,85

Skate -                        R$ 801.470,59

Surfe -                         R$ 801.470,59

Taekwondo -               R$ 3.289.363,59

Tênis -                         R$ 2.961.402,97

Tênis de Mesa –         R$ 2.942.726,72

Tiro com Arco -           R$ 2.815.585,67

Tiro Esportivo -           R$ 3.174.853,95

Triatlo -                        R$ 2.480.867,39

Vela -                           R$ 4.596.159,18

Voleibol -                     R$ 7.176.076,10

Wrestling -                   R$ 3.098.010,46

 

Fonte: Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2018

Acesso ao Clube